quinta-feira, 23 de abril de 2015

USP DEVE ADOTAR ENEM PARA 15% DAS VAGAS

A Universidade de São Paulo (USP) quer aprovar ainda neste ano a adoção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para selecionar parte dos alunos. O Enem seria usado para preencher 15% das vagas - essa forma de ingresso estaria voltada para alunos da escola pública. A instituição divulgou ontem que em 2015 conseguiu aumentar a proporção de estudantes da rede pública: chegou a 35,1%, ante 32,3% no ano anterior.
A adoção do Enem tem sido discutida desde o ano passado. Das 42 unidades da USP, 36 já se pronunciaram sobre o assunto e somente duas não recomendaram o exame como forma de ampliar a inclusão. "Houve muitas propostas sobre como melhorar a inclusão, mas a adoção do Enem é praticamente uma unanimidade", diz o pró-reitor de Graduação, Antonio Carlos Hernandes.
A pró-reitoria vai consolidar a proposta para aprovação até junho no Conselho Universitário, instância máxima da universidade. Assim, a mudança poderia valer já no próximo vestibular. A meta da USP é ter 50% de alunos da rede pública até 2018.
A universidade é pressionada para criar estratégias para aumentar a inclusão - a instituição nunca adotou cotas, mas aposta em um sistema de bônus. Cerca de 85% dos alunos de ensino médio estão em escolas públicas.
Segundo Hernandes, destinar 15% de vagas para o Enem, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), garantiria que a USP cumprisse a meta com velocidade. "As pessoas da universidade entenderam que há a necessidade de ter outro mecanismo de ingresso. Todo mundo tem confiança na Fuvest, mas não dá para fazer isso (aumentar a inclusão) lentamente."
O porcentual de vagas e a exclusividade de participação de alunos de escola pública ainda serão discutidos internamente. Pela proposta, a Fuvest continua responsável pela seleção dos demais alunos, e o sistema de bônus vigente na universidade também continuaria valendo, podendo até ser melhorado.
Inclusão Dos 10.955 matriculados neste ano, 3.847 (35,1%) vieram de rede pública. Apesar do avanço em relação ao ano passado, o porcentual ficou abaixo da estimativa feita no fim de 2014 pela universidade, que era alcançar 38%. Por outro lado, o número de inscritos de escola pública teve queda de 32%, o que dificulta a maior inclusão.
Hernandes comemorou o resultado, ressaltando que a evolução ano a ano é positiva. "A decisão da universidade de melhorar o bônus fez efeito", diz. Aluno de escola pública tem até 20% de bônus. Para negros ou indígenas, a bonificação chega a 25%. Para este ano, o sistema não levou mais em conta a nota mínima para o cálculo da bonificação, como ocorria antes.
A universidade não divulgou os porcentuais de inclusão por curso. Em carreiras concorridas, o número de alunos de escola pública costuma ser menor.
A inclusão de negros e indígenas também cresceu em 2015. Entre os alunos de escola pública, o porcentual de alunos pretos, pardos e indígenas passou de 30,3%, em 2014, para 32,1% neste ano. São 2.058 alunos, que representam 18,8% do total de alunos ingressantes.
O perfil socioeconômico também está se alterando. Em 2008, 58% dos ingressantes vinham de famílias com renda de mais de 7 salários mínimos. Esse porcentual caiu para 43% em 2015, aumentando a proporção de estratos mais pobres.
Fonte: AE

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Início das aulas do Pronatec em 2015 é adiado novamente pelo MEC

Nova data para começo do ano letivo está prevista para 27 de julho

O Ministério da Educação (MEC) adiou pela segunda vez o início das aulas do Programa Nacional do Ensino Técnico (Pronatec). A nova data está prevista para o dia 27 de julho. O cronograma inicial, marcado para 7 de maio, foi adiado em março pela primeira vez para 17 de junho. O novo edital foi publicado no "Diário Oficial da União" desta terça-feira (14).

De acordo com nota divulgada pelo MEC, "a alteração de cronograma se justifica pelos procedimentos decorrentes da aprovação do orçamento federal. Tendo em vista o pedido de várias instituições de ensino, o calendário foi ajustado de maneira a compatibilizá-lo com o calendário acadêmico das instituições".


O cronograma foi adiado pela primeira vez em março, quando o MEC prolongou o prazo para início das aulas de maio para junho. Na ocasião, o MEC disse em nota que estava "finalizando a pactuação de vagas com os ofertantes" e que aguardava "aprovação orçamentária". Também foi prometido que não haveria "prejuízo para os alunos".

Em fevereiro, o MEC divulgou nota na qual admitiu atrasos nos repasses da União para o Pronatec e confirmou a liberação de R$ 119 milhões para regularizar o pagamento de professores que lecionam em escolas particulares. O valor corresponde aos pagamentos de outubro, novembro e dezembro do ano passado. Em 2014, foram repassados cerca de R$ 640 milhões a instituições privadas, de acordo com o ministério. Nesta segunda-feira (13), o MEC liberou R$ 100 milhões referentes a cursos iniciados no fim de 2014 para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Novo calendário
Inscrições dos candidatos: de 22 de junho a 26 de junho
Resultado da 1ª Chamada: 30 de junho
Matrícula dos Selecionados em 1ª Chamada: de 1 de julho a 3 de julho
Resultado da 2ª Chamada: 7 de julho
Matrícula dos Selecionados em 2ª Chamada: de 8 de julho a 10 de julho
Inscrições online para vagas remanescentes: de 13 de julho a 26 de julho
Início das Aulas: 27 de julho


Sobre o Pronatec

O Pronatec oferece ao estudante cursos técnicos em instituições particulares pagos pelo governo.  As instituições privadas participam da iniciativa Bolsa-Formação do Pronatec, na oferta de cursos técnicos por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Segundo o MEC, as instituições privadas representam cerca de 7% das matrículas totais do Pronatec. Por meio dessa ação, foram realizadas cerca de 440 mil matrículas em 2014, além das cerca de 150 mil iniciadas em 2013. 

sexta-feira, 20 de março de 2015

Depósito de FGTS pode ser verificado por meio de celular


Caixa Econômica Federal disponibiliza o acesso direto aos dados da conta de FGTS pela internet ou via celular por meio de mensagem de texto SMS.
por Aline Ferreira
aline@oamarelinho.com.br
Publicado em 15/03/2015


O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é um direito de todo trabalhador demitido sem justa causa e uma obrigação do empregador, que deve depositar, mensalmente, 8% do salário do funcionário na conta indicada ao benefício. Mas você já parou para analisar se a sua empresa cumpre com as obrigações? Para ajudar a população a acompanhar o extrato e as datas de depósito, a Caixa Econômica Federal disponibiliza o acesso direto aos dados da conta pela internet ou via celular por meio de mensagem de texto SMS.




A consulta é permitida após a realização de cadastro no site www.caixa.com.br com o Número de Identificação Social (NIS), localizado no cartão PIS/PASEP, na Carteira de Trabalho ou no Cartão Cidadão, clicar em “cadastrar senha” e aceitar os termos. Após verificação dos dados, basta realizar o login e inserir o número do CPF e o celular com o DDD. Por fim, será enviado um aviso via SMS para certificar se o número cadastrado está correto.




Caso o empregador não esteja repassando o valor do benefício, é preciso verificar com o setor responsável da própria empresa ou procurar a Delegacia Regional do Trabalho (DRT).